O Ministério Público está a investigar o surto de covid-19 ocorrido em 2020 num lar de idosos no Nordeste, em São Miguel, onde ocorreram 12 mortes, confirmou à Lusa o gabinete da coordenadora da Comarca dos Açores.

Segundo a informação fornecida pelo gabinete de Maria da Conceição Lopes, “confirma-se a instauração, já no decurso de 2021, de um inquérito relacionado com a matéria”, sendo que “o mesmo se encontra em investigação e sujeito a segredo de justiça”.

A informação foi avançada na segunda-feira pelo jornal Diário dos Açores e confirmada no mesmo dia também pela Antena 1/Açores.

A Autoridade de Saúde dos Açores determinou em 5 de maio de 2020 o encerramento do lar de idosos da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste, no âmbito da pandemia de covid-19.

No total, naquela estrutura, foram registados 50 casos de infeção pelo novo coronavírus, entre utentes e funcionários, e 12 mortes.

Em 6 de junho, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deslocou-se ao equipamento, tendo elogiado o desempenho dos profissionais de saúde.

Já em 22 de dezembro, o secretário da Saúde do executivo regional que entretanto tomou posse, após as legislativas açorianas (PSD/CDS-PP/PPM), acusou o anterior diretor regional da área e atual deputado do PS Tiago Lopes de ser responsável pela morte dos 12 utentes.

“Lamento que alguém que foi responsável pelas 12 mortes no Nordeste venha agora colocar uma questão isolada nos termos em que colocou”, afirmou Clélio Meneses, ouvido pela Comissão de Assuntos Sociais da Assembleia Legislativa, na sequência de um requerimento do PS sobre questões relacionadas com a covid-19.

O governante reagia a uma questão de Tiago Lopes, anterior responsável pela Autoridade de Saúde Regional, sobre o óbito de uma jovem na vila de Rabo de Peixe. Contudo, o antigo diretor regional da Saúde não respondeu à acusação.

/ CP