Um homem indiciado dos crimes de abuso sexual de criança, atos sexuais com adolescentes e pornografia de menores ficou em prisão preventiva, após interrogatório judicial na quinta-feira, revelou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

De acordo com a PGDL, o arguido é suspeito de, por várias vezes, ter mantido atos sexuais com um menor desde que este tinha 13 anos.

O detido é, ainda, suspeito de ter aliciado a vítima a fotografar as suas partes íntimas e remeter-lhe o respetivo registo fotográfico. Convenceu também o menor a filmar-se na prática de atos sexuais por videochamada presenciada pelo arguido.

O arguido ficou em prisão preventiva e com proibição total de contactos com o menor e com a mãe deste por qualquer meio, seja diretamente, seja por interposta pessoa, considerados os perigos concretos de perturbação do inquérito, continuação da atividade criminosa e grave perturbação da ordem e tranquilidade públicas.

A investigação foi dirigida pela 1.ª Secção do Departamento de Investigação e Ação Penal de Cascais, Comarca de Lisboa Oeste, com a coadjuvação da Polícia Judiciária.