Adriano Maranhão foi o primeiro português infetado com covid-19. Agora, um ano depois, recordou no Esta Manhã, na TVI, os dias de aflição que viveu quando pouco ou nada se sabia sobre o vírus SARS-CoV-2. 

O português, quando soube que tinha testado positivo, a 22 de fevereiro de 2020, estava a trabalhar a bordo do navio cruzeiro Diamond Princess, que estava atracado no porto de Yokohama, no Japão. 

Hoje, à TVI, revela que foi uma "situação complicada" devido à pouca informação que se tinha sobre a covid-19. 

Na altura era uma situação muito desconhecida que tive de ultrapassar e não tínhamos informação nenhuma sobre o que é que era este vírus. Foi uma situação um bocado complicada".

Adriano nunca apresentou sintomas graves, tendo sentido apenas um enorme cansaço e algumas dores de cabeça. Recordou que uma das coisas que lhe custou mais foi ter ficado confinado na própria cabine. 

Foi um bocado mau. Depois de me ter sido dada a notícia de que estava infetado, fui confinado à minha cabine, onde fiquei sensivelmente uma semana fechado, sem informação e sem cuidados médicos. (...) estive dois dias sem alimentação, foi um bocado caótico". 

O português relembra que conseguiu sempre manter o contacto com a mulher, Emmanuelle Maranhão, mas foi muito difícil contactar a embaixada de Portugal no Japão, bem como a companhia do navio. 

VEJA TAMBÉM:

Cláudia Évora