Nove arguidos foram acusados de crimes de ofensa à integridade física grave qualificada, de violação de domicílio e de ameaça agravada, anunciou esta terça-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

No essencial está indiciado que os arguidos, agindo em comunhão de esforços e intentos e em execução de plano previamente gizado entre si, visando atentar contra a saúde da ofendida e movidos pelo desejo de vingança, em virtude de esta manter uma relação amorosa com o marido de uma das arguidas, dirigiram-se à residência desta, onde se introduziram munidos de um x-ato”, refere a PGDL em comunicado.

Segundo o documento, enquanto alguns desferiam um “número indeterminado de golpes atingindo-a na face, nuca, braço, antebraço direito, ombro e omoplata do lado direito, os outros agarravam-na e os demais assistiam às agressões de que a ofendida estava a ser vítima”.

Os arguidos abandonaram depois a residência e deixaram a vítima no local a sagrar, tendo provocado lesões que a “desfiguraram gravemente”.

Um dos arguidos está em prisão preventiva, três com obrigação de permanência na habitação com recurso a meio de vigilância eletrónica, quatro com apresentação periódica em regime diário no posto policial da área da sua residência e um com termo de identidade e residência.

O Ministério Público requereu a recolha de ADN aos arguidos para inserção na base de dados”, conclui.

A investigação foi efetuada sob a direção do Departamento de Investigação e Ação Penal de Sintra, Lisboa.