A Polícia Judiciária de Lisboa deteve um militar do Exército por violentas agressões a dois jovens junto à discoteca Urban Beach, ocorridas numa madrugada do passado mês de fevereiro. A TVI sabe que o militar ficou em prisão preventiva.

Uma das vítimas ficou cega de um olho, na sequência de uma violenta agressão com recurso a uma soqueira.

Ao que a TVI apurou, os jovens envolveram-se num desentendimento com o grupo de agressores, ainda no interior da discoteca, tendo sido mais tarde emboscados já no exterior. Das quatro vítimas, duas foram violentamente agredidas por dois homens, de 21 anos, tendo uma delas acabado por perder uma vista depois de ser submetida a uma intervenção cirúrgica. Os jovens agredidos teriam idades  compreendidas entre os 18 e os 21 anos.

O caso foi entregue à secção de homicídios da PJ de Lisboa, que agora avançou para duas detenções, entre elas de um militar do quadro permanente do Exército, que ficou em prisão preventiva por ordem do juiz de instrução.

Estão indiciados por crimes de ofensas graves à integridade física qualificadas – por um crime no mesmo local onde, em novembro de 2017, três seguranças do Urban Beach agrediram dois homens, num caso que chocou o país quando as imagens da violentas agressões foram divulgadas nas redes sociais. Por esses crimes, de homicídio na forma tentada, os três vigilantes da discoteca foram condenados no passado mês de junho. Pedro Inverno apanhou cinco anos e seis meses de prisão efetiva, enquanto João Ramalhete e David Jardim foram condenados a cinco anos e quatro meses.