Um funcionário público foi apanhado a pedir dinheiro para mudar a avaliação de um prédio rústico.

O suspeito, que é funcionário público em Évora e trabalhava também como perito avaliador de imóveis para «várias repartições da Direção Distrital de Finanças de Beja, contactava os proprietários dos imóveis [alvo de avaliação] a solicitar-lhes dinheiro para que os avaliasse por forma a que não houvesse prejuízo para o proprietário», explicou fonte da PJ à Lusa. E, se o proprietário «não lhe dava a quantia exigida», o suspeito «ameaçava com uma avaliação mais elevada para que a pessoa, mais tarde, pagasse mais Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) ou Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT)».

Segundo outra fonte policial, o homem, que há mais de 20 anos fazia avaliações de imóveis, terá iniciado este esquema em «2007 ou 2008», sendo que as verbas pedidas pelo suspeito variavam «entre os 10 mil e os 30 mil euros».

Esta «colecta generosa», como a PJ chegou à operação, terminou com a detenção do homem após buscas da Unidade de Corrupção da PJ.

O homem de 57 anos foi presente no DIAP de Évora. Está sujeito a apresentações periódicas, suspensão do exercício de funções públicas e proibição de contactos, de acordo com o comunicado da PJ.
Redação / CF