A Ambatlântico, que oferece serviços de transporte de ambulâncias, vai oferecer a Margarida a viagem até Boston, para que a menina possa ser vista no Boston Children's Hospital, onde poderá ser submetida a um transplante pulmonar de dadores vivos. "Queremos  ajudá-la a quebrar o cadeado que a prende", dizem os funcionários da empresa.

A menina  de sete anos vive dependente de uma garrafa de oxigénio, à qual está sempre ligada - chama-lhe o seu "cadeado" - e um transplante é a única solução para a doença pulmonar crónica de que sofre. 

 

Exemplo de superação pela forma positiva como encara a vida, Margarida foi a protagonista de uma reportagem da jornalista Alexandra Borges, emitida no dia de Natal, e que gerou uma imensa onda de solidariedade. 

No Facebook, já foi criada uma página de angariação de fundos que em poucas horas juntou milhares de seguidores.

/ BC