O incêndio que deflagrou este sábado em Monchique foi dado como dominado nas primeiras horas da manhã deste domingo. Apesar disso, o presidente da Câmara Municipal da autarquia algarvia pede que se mantenham as cautelas, até porque se espera novo dia de muito calor.

O facto de o incêndio estar dominado exige muito cuidado para que não haja reacendimentos", afirmou Rui André, em entrevista à TVI24.

No terreno mantém-se um forte dispositivo, que continua a contar com meios aéreos para conter eventuais novos focos de incêndio.

Dando exemplos de situações passadas, Rui André pede que se mantenham todas as cautelas. Sobre os efeitos do fogo, que também atingiu o concelho de Portimão, já arderam cerca de dois mil hectares, com as chamas a terem chegado perto de habitações, entre as quais um lar, que teve de ser evacuado.

No mesmo sentido vão as palavras da Proteção Civil, que alerta para várias reativações, grande parte delas provocadas pelo vento, mas todas controladas até ao momento.

No balanço efetuado pelas 07:30, a mesma fonte adiantou que durante a noite não foi necessário proceder a quaisquer evacuações ou cortes de estradas, depois de durante a tarde de sábado terem sido retiradas 30 pessoas das suas habitações (incluindo os utentes de um lar não licenciado).

O incêndio começou na zona do Tojeiro, freguesia de Marmelete, concelho de Monchique, com o alerta a ser dado cerca das 13:30 de sábado. Devido ao vento, o fogo passou para o concelho de Portimão, na freguesia da Mexilhoeira Grande, durante a tarde de sábado.

António Guimarães