A GNR foi obrigada a intervir e acabar com uma festa ilegal em Almancil, este domingo, 16 de agosto, com cerca de 200 pessoas.

A informação foi avançada através de um comunicado enviado aos órgãos de comunicação social.

A Guarda Nacional Republicana, do Comando Territorial de Faro, recebeu diversas "diversas denúncias a informar a realização de uma festa privada, os militares da Guarda realizaram diversas diligências com vista a averiguar a localização do evento, tendo apurado o local exato, pelo que procedeu à fiscalização da festa".

Na verdade, segundo o comunicado agora conhecido, "o evento foi amplamente divulgado pela empresa organizadora nas redes sociais, sendo a entrada exclusiva a clientes com reserva de mesa e a localização transmitida apenas 12 horas antes do seu início, contando com diversos artistas convidados".

Ainda segundo a GNR, "os promotores do evento foram previamente alertados para as medidas em vigor devido à pandemia COVID-19 e advertidos para não realizarem a festa. Para além disso, foi solicitado parecer à Autoridade de Saúde, que foi negativo, por não estarem salvaguardadas todas as medidas preventivas, de proteção e segurança exigíveis para um evento daquele género".

Não obstante, "os organizadores prosseguiram com o evento, tendo os militares da GNR chegado ao local e terminado imediatamente com a festa, ordenando a todas as pessoas que abandonassem o local".

O evento não dispunha de Licença Especial de Ruído emitida pela Câmara Municipal de Loulé, "motivo pelo qual foi elaborado um auto de contraordenação". Os organizadores do evento foram ainda identificados e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Loulé.
 

Patrícia Pires