O Juízo Central Criminal de Almada condenou um homem a cinco anos e seis meses de prisão por crimes de abuso sexual de criança e coação, agravados, na pessoa de uma sobrinha, foi hoje divulgado.

De acordo com a página da internet da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), o tribunal deu como “provado que, entre 2008 e 2014, o arguido atentou contra a liberdade sexual da sua sobrinha, aproveitando-se da confiança depositada em si pelos pais da vítima, que a deixaram à sua guarda, por curtos períodos, enquanto iam trabalhar”.

O arguido, sem antecedentes criminais, não confessou os factos, mesmo depois da prova pericial e testemunhal ter corroborado a veracidade do relato da menor, para memória futura, adianta a PGDL.

O tribunal condenou ainda o arguido no pagamento de uma indemnização à vítima.