Greta Thunberg chega esta terça-feira de manhã a Lisboa e será recbida pelo presidente da Câmara, Fernando Medina, e por um grupo de deputados.

A adolescente e ativista sueca chega à Doca de Alcântara a bordo do La Vagabonde, o veleiro que a trouxe do estado da Virgínia, nos Estados Unidos, até à Europa.

Greta Thunberg foi convidada pela Comissão Parlamentar de Ambiente a fazer uma paragem na Assembleia da República, mas o convite foi recusado por alegada falta de tempo.

O objetivo da jovem ativista é chegar a Madrid o mais rápido possível porque a cimeira do clima já começou e o mau tempo foi atrasando a viagem no mar.

Mal chegue, a adolescente dará uma conferencia de imprensa. Depois, parte para Madrid de comboio.

O Presidente da República saudou este domingo a breve passagem de Greta Thunberg por Portugal, mas já fez saber que não irá cumprimentá-la por considerar que isso poderia “ser considerado aproveitamento político”.

A jovem ativista ambiental apelou à participação na "greve climática" de sexta-feira em Madrid, num artigo de opinião publicado no portal Social Europe, que divulga comentários e análises sobre temas políticos, económicos e sociais.

Mostrem à vossa comunidade, à indústria dos combustíveis fósseis e aos vossos líderes políticos que não vão tolerar mais a inação e as alterações climáticas", disse Greta Thunberg, que assina o artigo com as jovens ativistas alemã Luisa Neubauer e espanhola Angela Valenzuela.

Greta Thunberg cruzou o Atlântico de barco para participar numa cimeira prévia da ONU em Nova Iorque (convocada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em setembro passado) e na COP25 no Chile, mas a alteração inesperada do local (a cimeira mudou-se do Chile para Madrid) obrigou-a a voltar a embarcar, desta vez num catamarã, para fazer a viagem ao contrário e chegar a tempo à capital espanhola sem ter de apanhar um avião.

A COP25 arrancou esta segunda-feira e termina a 13 de dezembro. Foi transferida de urgência a 1 de novembro para Madrid, depois de o Chile ter anunciado que renunciava à sua organização, devido a um movimento de contestação social sem precedentes no país.