O SEA LIFE Porto é a única empresa portuguesa aberta ao público com pegada ecológica positiva. A certificação do aquário passou por um demorado processo que envolve a aprovação das Nações Unidas.

No último ano, emitiu 1108 toneladas de carbono, menos do que as 1163 que recolhe da atmosfera. A conta de subtrair parece fácil de fazer, mas o processo de certificação exige grandes mudanças na empresa.

Tiago Mogadouro, o diretor de Marketing da SEA LIFE Porto, explicou quais são os passos a seguir.

Comprar certificados das Nações Unidas em que nós comparticipamos projetos em várias partes do mundo, que compensam a pegada de carbono que nós colocamos na atmosfera".

A redução do consumo enrgético passa por pequenas mudanças como a alteração do material de que são feitas as medalhas dos visitantes, mas também pela compra de energia verde, pela instalação de variadores de frequência energética e pela colocação de painéis solares no telhado do edifício.

Na prática, nós recolhemos mais dióxido carbono da atmosfera do que aquele que toda a nossa atividade coloca na atmosfera e passamos uma mensagem de conservação e de exemplo para todos os outros que estão à nossa volta e que nós esperamos que nos sigam".

O aquário garante que é o primeiro espaço aberto ao público em Portugal a atingir a pegada de carbono positiva. No processo de certificação é contabilizado todo o consumo de energia na manutenção dos tanques, mas também nas deslocações de funcionários e visitantes.

Lisete Reis