A Polícia Marítima interrompeu na quinta-feira uma festa num estabelecimento na zona da Costa da Caparica, Almada, na qual participavam cerca de 30 pessoas que não cumpriam as medidas de prevenção e disseminação da covid-19.

Em comunicado, a Autoridade Marítima Nacional (AMN), adianta que durante uma ação de policiamento e fiscalização no âmbito da covid-19 e direcionada aos estabelecimentos de restauração na zona entre a Costa da Caparica e a Fonte da Telha, Almada, o comando local da polícia marítima de Lisboa interrompeu uma festa com cerca de 30 pessoas.

Para além desta atividade ser proibida, constatou-se que as medidas de prevenção da disseminação do vírus não estavam a ser aplicadas, designadamente a não utilização de máscaras de proteção e o distanciamento social”, refere a AMN.

A polícia marítima determinou a suspensão imediata do evento e impôs o distanciamento social entre as pessoas, tendo identificado e autuado o responsável do estabelecimento pelo incumprimento das medidas estabelecidas na última Resolução do Conselho de Ministros, no âmbito da pandemia da doença covid-19.

No fim de semana o Governo determinou que Portugal continental vai continuar em situação de calamidade até 15 de novembro e 121 concelhos, localizados sobretudo nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, vão estar em confinamento parcial.

Uma das medidas determinadas é a proibição para todo o território de Portugal continental de eventos e celebrações com mais de cinco pessoas, salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar.

Hoje o parlamento vai debater e votar o projeto de decreto do Presidente da República que declara o estado de emergência em Portugal entre 9 e 23 de novembro para permitir medidas de contenção da covid-19.

/ CE