cativeiro

"O tribunal decidiu que a arguida vai permanecer em prisão preventiva", referiu Filipe Costa.








"A suspeita encontra-se tranquila, calma, nunca mais mostrou sinais de agressividade. O diálogo continua a ser complicado, pouco coerente e ela diz que mantinha o filho fechado na cave para protegê-lo, porque por vezes era violento", contou o oficial.