Epidemiologistas, a DGS e até o Governo já reconheceram que é imperativo aumentar o número de testes à covid-19 feitos em Portugal. Chave para este súbito acréscimo podem ser as farmácias, como já aconteceu em janeiro.

Ana Paula Martins, bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, explicou à TVI24 que, só no primeiro mês do ano, o setor efetuou cerca de 20 mil testes, nos 362 estabelecimentos que estavam autorizados.

Só em janeiro, cerca de 370 farmácias, que eram as que tinham condições para o efeito, fizeram cerca de 20 mil testes”, refere a bastonária da Ordem dos Farmacêuticos.

 

A responsável garante que o número de farmácias autorizadas a realizar testes à covid-19 vai aumentar e que o setor poderá "com facilidade" realizar 100 ou 150 mil despistes todos os meses.

Acreditamos que somos capazes de chegar às 800 ou mil farmácias. (...) Diria que, olhando para o mês de janeiro, somos capazes de chegar aos 100 ou 150 mil testes com alguma facilidade“, revela Ana Paula Martins.

 

De acordo com a bastonária dos farmacêuticos, o setor poderá ainda ajudar com o processo de vacinação, tal como já acontece no processo de imunização contra a gripe sazonal. No que diz respeito às vacinas contra a covid-19, Ana Paula Martins teoriza que as farmácias são capazes de garantir 50 mil inoculações diárias, a nível nacional.

No primeiro dia de vacinação da gripe este ano, em outubro, vacinámos 67 mil pessoas. Vacinámos mais de 640 mil pessoas em pouco mais de um mês e uma semana. O que significa que somos capazes de garantir pelo menos 50 mil inoculações por dia”, culminou Ana Paula Martins.

 

Na reunião do Infarmed, de terça-feira, o epidemiologista Manuel do Carmo Gomes já tinha defendido que a principal arma contra a pandemia de covid-19 era a "testagem", lembrando que o confinamento será sempre uma solução de último recurso e temporária.

Também Marta Temido e António Costa já tinham reconhecido esta necessidade de aumentar a testagem e garantiram que o número de despistes ao SARS-CoV-2 vai ser aumentado, em Portugal. 

Nuno Mandeiro