Ângela Ferreira, a mulher que pretende ficar grávida do marido que já morreu, esteve no programa “Dois às 10”, da TVI, enquanto espera que o Presidente da República promulgue a lei da inseminação post mortem.

“Só falta Presidente da República promulgar a lei. Está quase, estou a aguardar.”

A protagonista da história contada nas reportagens da TVI “Amor sem fim” sabe que pode não engravidar, mas está satisfeita com estar tão perto de iniciar os tratamentos.

“Não há garantias de nada, até posso fazer os tratamentos e não conseguir. Mas pelo menos posso tentar.”

Ângela admitiu que não esperava que a sua história “tivesse este impacto” e que “a parte mais difícil” já fez, ao expor-se.

O Parlamento aprovou a lei no passado dia 25 de março. Na votação final global, o diploma teve os votos a favor do PS, Bloco de Esquerda, PCP, PAN, Verdes, Iniciativa Liberal e as duas deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira (ex-Livre) e Cristina Rodrigues (ex-PAN). O PSD, CDS-PP e Chega votaram contra. Abstiveram-se cinco deputados do PS - Euridíce Pereira, Bruno Aragão, Filipe Neto Brandão, Porfírio Silva e Fernando Anastácio.

Catarina Pereira