O Centro de Recolha Oficial de Animais (CROA) do Porto efetuou esta segunda-feira operações numa habitação localizada na zona da Lapa que foi, no fim de semana, alvo de denúncias sobre a presença de uma colónia de gatos abandonados.

De acordo com dados remetidos à agência Lusa por fonte da câmara do Porto, às 08:00, uma equipa do CROA, com a presença de elementos da Polícia Municipal esteve no local, tendo encontrado "uma habitação devassada, repleta de resíduos, excrementos de animais e o cadáver de um gato em avançado estado de decomposição".

Quanto aos restantes animais que ainda se encontram vivos, esses, também de acordo com a autarquia, "fugiram pelo forro da cobertura para local inacessível, impossibilitando a sua captura e recolha".

Desconhece-se o paradeiro dos restantes animais alegadamente resgatados por munícipes", refere resposta escrita enviada à Lusa.

A autarquia do Porto esclarece que dado o "estado de insalubridade da habitação, em articulação com os serviços municipais de proteção civil foi efetuada a desinfestação do interior de forma a possibilitar a limpeza coerciva do espaço".

Paralelamente foi marcada uma operação de limpeza para terça-feira, altura em que estará presente uma equipa do CROA, de forma a garantir a recolha de qualquer cadáver, bem como de animais vivos que aí se encontrem.

Em causa está uma casa localizada na Travessa da Lapa, no centro do Porto.

No fim de semana foram partilhados nas redes sociais, nomeadamente num grupo associado a pessoas defensoras dos direitos dos animais que tem como nome "Exigimos responsabilidades pelos animais carbonizados no abrigo Santo Tirso", vídeos que mostravam uma colónia de gatos que circulavam em más condições e maltratados numa casa aparentemente abandonada.

A autora do vídeo descrevia o cheiro nauseabundo e as más condições da casa, referindo que alguns animais apresentavam más condições de saúde e deficiências de alimentação.

Na resposta à Lusa, a câmara do Porto conta que foi chamada ao local pela BRIPA - Brigadas de Proteção do Ambiente da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Já fonte do Comando Metropolitano da PSP, contactada pela Lusa, confirmou as diligências e informou que a proprietária dos gatos foi identificada, pelo que o caso será comunicado ao Ministério Público.

Quanto a antecedentes, a mesma fonte policial contou que a PSP já tinha recebido uma denúncia de um vizinho da casa que alegadamente teria sido abandonada com animais e que em março, na sequência da denúncia, um carro patrulha foi ao local.

Terão sido vistos "vários gatos que aparentavam boas condições" e a proprietária da casa foi contactada e informou que não estava naquela habitação devido à pandemia da covid-19, mas que "se deslocava ao local todos os dias para alimentar os animais".

Já no domingo, na sequência de nova denúncia, um carro patrulha da PSP deslocou-se novamente ao local e agentes viram "vários gatos subnutridos", enquanto uma testemunha referiu que recolheu alguns dos gatos para os alimentar.

Nenhuma das fontes especificou quantos animais ao todo farão parte desta colónia de gatos.

/ AG