O bispo de Leiria-Fátima, António Marto, chamou este domingo à atenção para os “400 mil novos pobres que esta pandemia [Covid-19] fez”, considerando “um desígnio nacional” apoiá-los.

Há um desígnio nacional a que somos todos chamados diante dos 400 mil novos pobres que esta pandemia fez”, disse o cardeal António Marto na missa dominical celebrada no recinto do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, distrito de Santarém.

“Acudir a estas pessoas, não lhes ficar indiferente é um desígnio nacional”, reforçou o cardeal, recordando que, do ponto de vista da doutrina católica, este “desígnio nacional” é visto como “compaixão e misericórdia real e concreta” à qual não se pode “fechar os olhos”.

António Marto citou um documento da Comissão Nacional Justiça e Paz, organismo laico da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), segundo o qual estes números revelam “um aumento de 25% da taxa de pobreza e um aumento da desigualdade de 09%”, o que deixa Portugal “entre os cinco países da União Europeia com maior risco de pobreza”, realçou.

O prelado deixou críticas à comunicação social, que considerou estar “entretida com outras histórias, não deu relevo” a esta situação de novos pobres.

António Marto sublinhou a necessidade de uma “amizade com Cristo”, que se concretiza no ouvir “a Sua palavra”, em “ajustamentos concretos” na vida do dia-a-dia, para “se ter um estilo mais evangélico”, num “revigorar da fé" e no “entusiasmo e força para a missão”.

“O convite que Jesus faz aos discípulos, para um repouso, é o mesmo convite que Jesus nos dirige em Fátima através da sua mãe”, afirmou o cardeal, que vincou que não se deve ir a Fátima “por turismo”, mas ao encontro da Virgem Maria.

“Precisamos de facto deste encontro, que requer distanciamento da agitação da vida quotidiana, do turbilhão de emoções que enche o nosso coração, um distanciamento do ruído do mundo com que somos bombardeados pelos media, e recarregar as nossas baterias espirituais”, disse.

“A peregrinação a Fátima é como um banho num oásis de frescura, em que nos refrescamos: aqui buscamos a paz da alma que Jesus nos pode dar”, acrescentou.

No Santuário de Fátima realiza-se, hoje à tarde, a celebração da bênção das fitas dos alunos finalistas do Instituto Politécnico de Leiria.

Segundo dados do Santuário, mais de 800 finalistas vão estar no recinto de Oração, numa missa que será presidida pelo reitor do Santuário de Fátima, o sacerdote Carlos Cabecinha.

/ AG