A aplicação de rastreio e combate à covid-19, "StayAway Covid", já foi descarregada um milhão e 264 mil vezes e, até ao momento, foram inseridos 107 códigos de doentes infetados.

Estes números foram avançados esta sexta-feira pelo presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), Luís Goes Pinheiro, em conferência de imprensa.

O responsável lembrou que esta app de rastreio esté, desde o início, "assente na liberdade": "liberdade usar, liberdade de instalar, liberdade de inserir o código". Goes Pinheiro explicou que a inserção dos códigos depende da instalação da app, implica que o médico dê o código ao utente e que este insira o código na plataforma.

O presidente dos SPMS deixou ainda uma garantia aos doentes que possam ter receio de inserir o código: "o seu anonimato está garantido".

Linha SNS 24: serão contratados cerca de 650 profissionais

Na mesma conferência de imprensa, o secretário de Estado da Saúde anunciou que, durante o outono, serão contratados cerca de 650 profissionais para a linha SNS 24 que, além deste reforço, vai contar com dois novos centros de contacto.

O primeiro dos novos “call centers” já está em fase experimental e vai abrir na Covilhã. “Muito em breve abriremos mais um em Vila Nova de Gaia”, disse Diogo Serras Lopes.

Nos restantes centros de contacto do SNS 24, vai haver um reforço de profissionais, que deverá ser concluído antes do início do inverno, com a contratação de cerca de 650 profissionais.

(Este reforço) permitirá que passemos dos atuais 1.350 profissionais na linha SNS 24 para os dois mil ainda durante o outono”, avançou o secretário de Estado.

Luís Goes Pinheiro divulgou ainda alguns dados sobre a Linha SNS 24, quer em termos de procura quer naquilo que tem sido a sua capacidade de resposta.

O responsável disse que, até ao início da pandemia o mês com mais chamadas atendidas tinha sido janeiro de 2019, com 200.000 chamadas, e que, com a pandemia, março de 2020 "ultrapassou a barreira das 300.000 chamadas". Nesse mês, o tempo de espera "disparou".

Segundo Luís Goes Pinheiro, setembro também registou um "pico muito acentuado na procura do SNS 24", mas, ao contrário do que se verificou em março, "o tempo médio de espera tem-se mantido muito estável".

De resto, o responsável adiantou que, até agora, e excluindo o mês de março, o tempo médio de espera da linha foi de 52 segundos.

Portugal registou esta sexta-feira mais seis mortes e 888 novos casos de infeção por covid-19, segundo o boletim da Direção-Geral de Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1.983 mortes e 77.284 casos de infeção.

A DGS indica que das seis mortes registadas, cinco ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo e uma na região Norte.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim revela que nas últimas 24 horas não há registo de novos internamentos, mantendo o número de quinta-feira de 682 pessoas.

Sofia Santana / atualizada às 16:06