A Diretoria do Norte da Polícia Judiciária (PJ/Norte) apreendeu 255 quilos de “khat”, um forte estimulante alucinogénio similar à anfetamina, numa operação desenvolvida no Aeroporto do Porto, informou esta quinta-feira fonte policial.

A apreensão, consumada em março e só agora revelada, foi, segundo comunicado da PJ/Norte, “a maior apreensão de sempre desta substância em Portugal”.

Ainda de acordo com a polícia, a investigação do caso continua a desenvolver-se e levou já à detenção de duas pessoas, responsáveis em Portugal pela importação daquele produto, sendo a uma delas aplicada a prisão preventiva e à outra caução económica e apresentações semanais.

Os 255 quilos de “khat” foram apreendidos em colaboração com a Autoridade Tributária, no terminal de cargas do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no âmbito do combate ao tráfico internacional de estupefacientes.

O produto, dissimulado em sacos de chá verde não fermentado, era proveniente da África Oriental e destinava-se ao mercado europeu, nomeadamente a países do norte da Europa, indica o comunicado.

A substância em causa, cujo princípio ativo é a catinona, é um forte estimulante alucinogénio, que causa excitação e euforia.

Trata-se de uma planta cultivada na África Austral e Oriental, que pode ser mascado, fumada, ou bebida como chá nos mercados ocidentais.

Em 1980, a Organização Mundial da Saúde classificou o “khat” como uma droga, que pode produzir dependência psicológica.

A PJ/Norte diz que em Portugal o consumo desta substância “não tem grande expressão”, mas contrapõe que é uma droga “muito procurada” nos Estados Unidos e em países do norte da Europa.