A GNR anunciou, este domingo, a apreensão de milhares de artigos alegadamente contrafeitos, desde peças de vestuário, artigos de marroquinaria, relógios, perfumes, a DVDs e CDs, no valor de cerca de 37 mil euros, durante uma rusga na feira de Águeda.

A operação, com o nome de código «Lacoste», decorreu no sábado de manhã e envolveu mais de 80 agentes, incluindo militares da GNR e inspectores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica e do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

De acordo com a mesma fonte, durante esta acção foram apreendidas 7385 peças de vestuário, 88 artigos de marroquinaria, 60 relógios, 78 perfumes, 47 artigos de calçado, 25 cintos, 540 DVDs e 60 CDs, alegadamente contrafeitos, no valor total de 37 442 euros.

Foram ainda identificadas nove pessoas pelo crime de contrafacção e uma outra foi constituída arguida pelo crime de usurpação de direitos de autor. As autoridades identificaram ainda 11 pessoas por suspeita de situação irregular em território nacional e detectaram duas outras, uma em situação irregular e outra com pedido de paradeiro judicial.

De acordo com a GNR, esta operação decorreu no âmbito de uma investigação, que durava há algumas semanas, «por suspeita de comercialização de material contrafeito, de cidadãos em situação irregular em território nacional e ainda falta de cumprimento dos feirantes das normas estabelecidas no Regulamento Municipal».

A GNR de Aveiro adiantou que no futuro vai intensificar este tipo de acções policiais «nas zonas críticas» da sua área de jurisdição, numa perspectiva dissuasora.