Os técnicos da Administração Regional Hidrográfica do Algarve (ARH) estiveram na falésia onde se deu uma derrocada que matou cinco pessoas esta sexta-feira na Praia Maria Luísa, em Albufeira. Quem o disse foi o ministro do Ambiente, Francisco Nunes Correia, que salientou que não foi identificado qualquer risco iminente e que a «negligência» não está entre as causas do acidente.

O governante apontou que «a arriba estava identificada como de risco potencial», porém, a avaliação não apontava para que pudesse acontecer «um acidente a curto prazo».

«Falta agora saber o que aconteceu na última semana para provocar a queda da arriba», disse o ministro, citado pela Lusa, anotando que tanto o sismo da passada terça-feira como a forte ondulação recente serão dados a estudar. Assegurando ainda que será feita uma «investigação rigorosa».

Algo que Nunes Correia garantiu é que «não houve negligência». «Quero tranquilizar os que passam férias no Algarve que a ARH está a vistoriar de novo situações de risco como já tinha feito no início da época balnear e na última sexta-feira», frisou.