O Tribunal de Arouca foi assaltado no último fim de semana, tendo sido furtados cerca de 600 euros que se encontravam num cofre, disse esta segunda-feira à agência Lusa fonte da GNR.

Segundo a mesma fonte, o caso foi denunciado por uma funcionária do tribunal que, quando chegou ao local de trabalho, “apercebeu-se que o cofre estaria aberto e havia coisas que estavam mexidas”.

Foram feitas diligências e constatou-se que a única coisa que está em falta é numerário. São cerca de 600 euros que estariam apreendidos”, disse o oficial de comunicação e relações públicas do Comando Territorial de Aveiro da GNR, Telmo Gomes.

O mesmo responsável referiu ainda que numa primeira análise “não foram detetados sinais de arrombamento”.

Em declarações à Lusa, o juiz presidente da Comarca de Aveiro, Paulo Brandão, explicou que os autores do assalto terão entrado pela porta principal do edifício, usando uma chave mestra que estava desaparecida, e confirmou que o alarme do tribunal não está a funcionar há mais de um ano.

Nunca foi feita a reparação, porque a sua substituição é mais vantajosa. Estávamos à espera de fazer essa substituição quando se realizasse as obras de manutenção e conservação do edifício, que tem problemas de infiltrações”, disse o juiz desembargador Paulo Brandão.

O juiz presidente esclareceu ainda que do cofre foram furtados apenas 200 euros, adiantando que os restantes 400 euros era dinheiro que os funcionários estavam a juntar.

O Tribunal de Arouca fica situado no primeiro andar de um edifício onde funciona também a Conservatória do Registo Predial, no rés-do-chão.

A Polícia Judiciária também se deslocou ao local, mas o inquérito está a cargo da GNR.

/ JGF com Lusa