Centenas de elementos das forças de segurança pertencentes ao Movimento Zero estão concentrados esta segunda-feira em frente à Assembleia da República para exigir a atribuição do subsídio de risco e a atualização salarial.

Com o lema "hora de agir - unidos somos a tempestade que os atormenta!" a concentração é organizada pelo movimento inorgânico Zero, que surgiu nas redes sociais, e que congrega elementos da PSP e da GNR.

Polícia há nove anos, Correia Gomes, um dos poucos a falar à comunicação social, porque a maior parte não quis dar a cara, disse aos jornalistas que os elementos das forças de segurança se sentem desrespeitados e que os problemas se arrastam há décadas.

Entre os principais problemas que os elementos das forças de segurança reclamam está a atribuição do subsídio de risco que o Governo prometeu até ao final do mês de junho e a atualização dos índices remuneratórios das tabelas salariais.

Nesta concentração estão ainda presentes alguns dirigentes dos sindicatos menos representativos da PSP.

PSP reforça policiamento

A PSP reforçou o policiamento junto da Assembleia da República.

O reforço, com elementos da Unidade Especial de Polícia e equipas de intervenção rápida, foi realizado após alguns dos manifestantes terem vestido os polos de serviço da Polícia de Segurança Pública e Guarda Nacional Republicana.

Alguns elementos da GNR apresentaram-se na manifestação com chapéu de serviço, gritando palavras de ordem como “Cabrita rua”, referindo-se ao ministro da Administração Interna, “Movimento Zero” e “Respeito”.

A escadaria do Parlamento e zonas laterais da Assembleia da República estão protegidas com gradeamentos de metal e blocos.

/ CE