Um homem de 84 anos morreu esta segunda-feira atropelado em Almada, na sequência de um choque com o Metro Sul do Tejo (MST), que o projectou para a via de rodagem, disse fonte da PSP de Almada, citada pela Lusa.

«O acidente aconteceu pelas 07:39, na Avenida 23 de Julho, em Almada. O metro, que circulava no sentido Corroios-Almada, empurrou a vítima para a via de rodagem e esta foi atropelada por uma viatura que circulava no sentido Almada-Corroios», explicou a mesma fonte.

De acordo com a PSP, a vítima, residente no concelho, morreu ainda no local do acidente.

Segundo dados do Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal, durante o ano de 2009, acidentes com o MST fizeram 13 vítimas, sendo quatro delas graves e uma mortal.

A primeira fase do MST, que inclui as linhas Cacilhas-Corroios, Corroios-Pragal, Cacilhas-Universidade e abrange os concelhos de Almada e Seixal, está a funcionar desde Novembro de 2008.

Entretanto, a Comissão de Utentes do Metro Sul do Tejo afirmou que é «necessário que a empresa olhe com mais atenção para a velocidade de circulação do metro».

«Assistimos muitas vezes a situações de velocidade excessiva por parte do metro», disse Luísa Ramos, representante da Comissão de Utentes.

«Sem poder reportar-se com pormenor à situação concreta deste acidente», acrescentou, «a Comissão tem, não obstante, desde sempre colocado a questão da segurança como uma das que deveriam merecer maior atenção por parte da Metro Transportes do Sul (MTS), concessionária do MST».

Segundo dados do Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal os acidentes com o MST em 2009 causaram um morto e quatro feridos graves de um total de 13 ocorrências.
Redação / CR