O juiz de instrução criminal no tribunal de Albergaria-a-Velha colocou este sábado com termo de identidade e residência o homem que atropelou sexta-feira um militar da GNR, quando pretendia seguir por uma estrada cortada devido aos incêndios.

De acordo com fonte policial, o homem foi conduzido para interrogatório ao Tribunal de Albergaria-a-Velha, sendo ouvido durante a tarde e tendo o juiz de turno decidido remeter o processo para inquérito e fixado como medida de coação o termo de identidade e residência.

O incidente ocorreu quando o militar estava a fazer o "corte na via" para auxiliar algumas operações de rescaldo nas proximidades de habitações, tendo sido assistido no Hospital de Aveiro e recebido, entretanto, alta médica.

O incidente ocorreu em Assilhó, local onde estava montado o posto de operações de combate aos incêndios de Albergaria-a-Velha e Águeda, no distrito de Aveiro, que entretanto foram considerados em conclusão, embora as chamas tenham voltado hoje à tarde a Macinhata do Vouga, Águeda, estando a ser combatidas por 80 homens, 22 viaturas e dois meios aéreos, de acordo com dados da proteção civil às 17:20.