A Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE) registou esta quinta-feira «positivamente» o anúncio do primeiro-ministro de que serão iniciadas de imediato negociações com os sindicatos de professores sobre a avaliação, mas lamentou a insistência no programa do Governo.

«Registamos positivamente que o senhor primeiro-ministro tenha anunciado que a senhora ministra vai iniciar de imediato um processo de negociações com os sindicatos relativamente às matérias mais urgentes», refere o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, citado pela Lusa, acrescentando que tal atitude corresponde a uma solicitação da federação.

João Dias da Silva partilha também dos pressupostos definidos por José Sócrates, segundo o qual a avaliação deve ser rigorosa, séria e justa, mas discorda da insistência no programa do Governo.

«Do que discordamos é que não poderá sair daquilo que está no programa do Governo, o que significa uma contradição entre as primeiras declarações e esta última afirmação», do primeiro-ministro, afirmou o responsável da FNE.

«É necessário que o Ministério da Educação e o Governo avancem para um processo negocial com disponibilidade para acolher as propostas sindicais, nomeadamente da FNE, relativamente a estas matérias e particularmente com aquela exigência que é comum - a construção de uma solução tem de ser feita sempre sobre o fim da divisão [da carreira] dos professores em duas categorias [professor e professor titular] e a avaliação deverá ser diferente desta que tem estado a funcionar nas escolas», sublinhou.

José Sócrates afirmou hoje no Parlamento que o Governo está disponível para «melhorar e aperfeiçoar» a avaliação dos professores, mas não para «destruir», dizendo que a ministra da Educação, Isabel Alçada, tomará «de imediato» a iniciativa do diálogo com os sindicatos.
Redação / CR