Um homem de 29 anos assumiu esta terça-feira no Tribunal de Aveiro a autoria de vários roubos sob ameaça de arma branca ocorridos em agosto de 2020, afirmando que obrigou a companheira a participar em alguns dos assaltos.

Confrontado com a acusação do Ministério Público (MP), o arguido começou por dizer que a companheira, que está a ser julgada no mesmo processo, “também é uma vítima”, porque “era obrigada a fazer os assaltos”.

“Foi mesmo contra a vontade dela. Era forçada a fazer isso”, disse.

Esta versão foi confirmada pela arguida, de 23 anos, que afirmou ter sido obrigada pelo companheiro a fazer os assaltos, adiantando que este ameaçava que lhe batia.

Os dois arguidos, que se encontram em prisão preventiva, estão acusados de vários crimes de roubo e sequestro.

O caso mais grave ocorreu em 10 de agosto de 2020, pelas 11:00 quando o casal assaltou a casa de um homem de 91 anos que vivia sozinho na Gafanha da Nazaré, em Ílhavo.

Segundo a acusação do MP, o homem encostou uma faca ao pescoço da vítima e exigiu dinheiro, tendo aquele entregado 100 euros que tinha na carteira.

Os arguidos trancaram o ofendido num dos quartos da habitação e fugiram na sua viatura que se encontrava estacionada em frente à habitação.

O casal está ainda acusado de ter roubado duas pessoas na via pública, tendo num dos casos levado 30 euros e um telemóvel e, no outro cas,o forçado um jovem a levantar 200 euros num multibanco, sob ameaça de faca.

A acusação refere ainda mais duas situações em que o elemento masculino do casal terá atuado com um suspeito que não foi identificado, relacionadas com o roubo de viaturas por “carjacking”.

O processo tem ainda um terceiro arguido, de 30 anos, que foi apanhado a conduzir uma das viaturas furtadas e que acabou por se despistar contra um pilar de um prédio em Vagos, após uma perseguição da GNR.

Este arguido está acusado de um crime de recetação e outro de condução perigosa de veículo rodoviário.

. / RL