O Tribunal de Aveiro condenou esta quinta-feira a três anos e nove meses de prisão efetiva dois irmãos de 31 e 33 anos por um assalto à mão armada a uma gasolineira, em Albergaria-a-Velha, ocorrido em março de 2017.

O coletivo de juízes deu como provados os factos que constavam da acusação, com base na confissão integral dos arguidos.

Os dois irmãos foram condenados por um crime de roubo agravado e outro de falsificação de documento.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), os arguidos deslocaram-se até ao posto de abastecimento de combustíveis na antiga Estrada Nacional nº. 1, em Albergaria-a-Velha, num automóvel que havia sido furtado uns meses antes e que ostentava chapas de matrícula falsas.

Enquanto o arguido mais novo permaneceu ao volante, o outro saiu da viatura com uma caçadeira de canos serrados e encapuzado, entrando na loja de conveniência, onde se encontrava apenas a funcionária.

O assaltante passou depois para o interior do balcão e apoderou-se de uma gaveta da caixa registadora, contendo no seu interior cerca de 230 euros, após o que abandonou a loja, entrou na viatura e fugiu do local.

De acordo com a investigação, a viatura utilizada no roubo veio a ser encontrada abandonada, uns dias mais tarde, numa zona florestal em Vila Nova de Gaia, com sinais de fogo posto.

Os dois irmãos encontram-se atualmente detidos no Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, depois de terem sido condenados no ano passado, no Tribunal de Viseu, a 15 anos de prisão por outros furtos e roubos.

Ambos são arguidos em outros processos por crimes idênticos praticados na área de Aveiro, Viseu e Porto, um dos quais vai começar a ser julgado em outubro no Tribunal de Aveiro.