A Unidade de Ação Fiscal da GNR apreendeu 3.300 litros de aguardente numa destilaria ilegal de Baião, distrito do Porto, anunciou esta sexta-feira fonte policial.

A introdução fraudulenta daquela aguardente no consumo significaria um perda de receita fiscal da ordem dos 22.500 euros, calcula, em comunicado, o Destacamento do Porto da Unidade de Ação Fiscal da GNR.

O proprietário da destilaria, de 68 anos, foi constituído arguido e o equipamento utilizado na produção foi apreendido, designadamente, um alambique composto por duas caldeiras em cimento, dois refrigeradores e duas colunas em cobre.

A ação policial “teve origem numa denúncia, tendo os militares detetado a aguardente numa destilaria ilegal, não habilitada pela autoridade tributária para a produção de bebidas alcoólicas, que se encontrava em plena laboração”, indica o comunicado policial.