A vacinação terá evitado 140 mortes, em Portugal, afirmou Baltazar Nunes, responsável pela Unidade de Investigação Epidemiológica do Instituto Ricardo Jorge, na reunião do Infarmed dessa terça-feira.

O epidemiologista deu conta de que a incidência entre maiores de 80 anos diminuiu após a vacinação deste grupo. O responsável pela Unidade de Investigação Epidemiológica do Instituto Ricardo Jorge referiu que estes números tiveram por base base um modelo matemático aplicado a uma cenário com e sem vacinação, com base no índice de transmissibilidade registado.

Há um efeito significativo da cobertura vacinal na população de 80 e mais anos", ", afirmou, acrescentando que terão sido prevenidos 140 óbitos. 

Portugal em “inversão da tendência”

O especialista deu conta de que Portugal tem registado um aumento sistemático do índice de transmissão, com o R(t) a fixar-se nos 1.05. Baltazar Nunes explica que isto pode representar uma inversão da tendência positiva que Portugal vinha a apresentar, levando a um novo “crescimento dos novos casos por dia”. 

O valor do R(t) no último dia com dados - 8 de abril - era de 1,09.

Há uma inversão da tendência e os novos casos por dia estão a aumentar", reforçou.

O especialista explicou ainda que após a reabertura das escolas, verificou-se um aumento expressivo na incidência do grupo dos 0 aos nove anos. Também se regista esse aumento entre pessoas com 25 e os 50 anos.

Portugal está com nível de incidência muito mais baixo do que os outros países na Europa”, ainda que o R(t) esteja a aumentar.

Ainda assim, Baltazar Nunes destaque um sinal "muito positivo" dado pela taxa de incidência na faixa etária acima dos 65 anos.

Portugal deverá atingir os 120 casos por 100 mil habitantes dentro de um mês

Portugal apresenta um nível de crescimento de 71 casos por 100 mil habitantes, no entanto, Baltazar Nunes admite que esse número possa atingir a faixa dos 120 por 100 mil habitantes entre "duas semanas e um mês".

Apesar de afastar esse cenário da Região de Lisboa e Vale do Tejo, uma vez que a taxa de crescimento é "praticamente nula", esse valor já foi atingido no Algarve.