O bastonário da Ordem dos Biólogos, José Matos, afirmou-se preocupado com a proliferação de informação incorreta sobre a pandemia de covid-19 e disse que os biólogos estão disponíveis para ajudar na “informação cientificamente correta”.

Falando aos jornalistas após uma audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o bastonário disse-se preocupado com os “falsos especialistas” em ciência e em pandemia, que transmitem ideias “totalmente erradas”, e com as pessoas que sem qualquer conhecimento científico têm opiniões que vão induzir em erro.

Esse foi um dos três temas discutidos com o Presidente, disse José Matos, adiantando que outro foi a importância dos testes à infeção com o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, tendo lembrado que são profissionais, muitas vezes biólogos, quem faz esses testes. “É uma preocupação saber se o número de testes vai aumentar muito e que isso traga algumas dificuldades de recursos humanos, ou até de reagentes para os fazer”, disse.

José Matos disse ainda que outro dos temas debatido foi a importância de investir na investigação em ciência, para que se descubra mais rapidamente formas de combater a pandemia, seja pela descoberta de vacinas seja pelos antivirais.

É preciso, disse, reduzir ao máximo o número de pessoas infetadas, para dar tempo para que existam soluções que possam depois auxiliar a situação, afirmou.

“O vírus está aí fora” e é preciso reduzir o contágio, avisou, adiantando ainda que com Marcelo Rebelo de Sousa se falou ainda da possibilidade de outros “atores”, como os da área da biologia, poderem “atuar no controlo das cadeias de transmissão” da covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 44 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, só nas últimas 24 horas, foram reportadas 24 mortes relacionadas com a covid-19 e 3.960 novos casos de infeção, o maior máximo diário já registado, segundo a Direção-Geral da Saúde.

/ AM