O Tribunal Judicial de Beja decretou esta sexta-feira a prisão preventiva ao homem detido na quinta-feira suspeito de tentar matar duas mulheres, em Vidigueira, e suicidar-se a seguir, disse fonte da GNR.

A mesma fonte indicou à agência Lusa que o suspeito foi presente esta sexta-feira à tarde a um juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório judicial, no hospital de Beja, após ter alta, que lhe decretou a medida de coação mais grave, ficando a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Beja.

Fonte do hospital de Beja disse à Lusa que o homem, de 54 anos, "teve alta médica pouco depois das 17:00 de hoje".

O suspeito tentou na quinta-feira, alegadamente, matar duas mulheres com uma arma de fogo, e suicidar-se a seguir, tendo sido detido, de acordo com fonte da GNR.

As tentativas de homicídio das duas mulheres - uma de 51 anos, que ficou gravemente ferida, e outra de 55, que sofreu ferimentos ligeiros - ocorreram cerca das 00:20 de quinta-feira, junto a um lar de idosos na vila de Vidigueira, no distrito de Beja, segundo a Guarda Nacional Republicana (GNR).

A fonte do hospital de Beja indicou hoje à Lusa que a mulher ferida em estado grave se "mantém sedada e com ventilação nos serviços de cuidados intensivos e caso não haja nenhuma alteração aí deverá permanecer mais alguns dias".

A outra vítima, que sofreu "ferimentos ligeiros numa mão", teve alta no mesmo dia, segundo fonte hospitalar.

O suspeito foi identificado e detido, cerca das 03:15 de quinta-feira, na sua casa, na aldeia de São Matias, concelho de Beja, após ter tentado suicidar-se por envenenamento, indicou a fonte da guarda.

Segundo a GNR, o homem foi assistido em casa e depois transportado para o hospital, onde esteve até hoje, detido e sob vigilância de dois militares da GNR e a receber cuidados médicos.

A GNR fez as primeiras diligências, mas passou a investigação do caso para a alçada da Polícia Judiciará.

/ AM