“Os guardas prisionais sentem-se muito fragilizados nestas situações. No nosso estatuto não está contemplado um subsídio de risco, ao contrário de todos os outros serviços que trabalham nos estabelecimentos prisionais”, denuncia Orlando Gomes, do Sindicato Independente dos Guardas Prisionais.