As associações de taxistas que foram recebidas, este sábado, pelo chefe da Casa Civil da Presidência da República, não fizeram declarações no final, remetendo-as para um momento posterior.

As duas associações disseram aos jornalistas que só depois de se juntarem aos taxistas que estão concentrados no centro da capital, na praça dos Restauradores e Avenida da Liberdade, é que falarão sobre o que foi discutido em Belém.

No quarto dia de protesto dos taxistas uma delegação composta pelo presidente da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio de Almeida, e pelo presidente da Federação Portuguesa do Táxi, Carlos Ramos, foi recebida na Presidência. Os responsáveis chegaram a Belém cerca das 18:55 e foram recebidos 10 minutos depois pelo chefe da Casa Civil, Fernando Frutuoso de Melo.

A reunião durou cerca de 50 minutos e no final os taxistas, que chegaram a Belém em táxis escoltados pela polícia, disseram aos jornalistas que qualquer declaração só após comunicarem aos restantes taxistas o resultado da reunião em Belém.

Os taxistas estão em protesto desde quarta-feira, com concentrações em Lisboa, Porto e Faro, contra a entrada em vigor, em 01 de novembro, da lei que regula as quatro plataformas eletrónicas de transporte em veículos descaracterizados que operam em Portugal – Uber, Taxify, Cabify e Chauffeur Privé.