"Os desacatos que aconteceram no Marquês [de Pombal] são absolutamente lamentáveis e inaceitáveis para a cidade de Lisboa e para um fenómeno desta natureza e nada têm que ver com o dispositivo que foi encontrado", vincou o governante, que falava aos jornalistas num hotel da capital e à margem da tomada de posse da direção da Confederação do Turismo Português (CTP) para o triénio 2015-2018.


"Há bastante tempo" que vinha a ser discutido o modelo de segurança entre a autarquia, a PSP e o Benfica, sublinhou Medina, tendo sido escutadas "várias opiniões" para assegurar festejos em "segurança, estabilidade" e com "fluidez" nas movimentações quer das forças de segurança e emergência quer da equipa de futebol.

"A preparação permitiu uma excelente organização e todos os elementos fundamentais estavam precavidos", vincou ainda o autarca, que acrescentou também que as ações de "grupos possivelmente marginais" podiam ter acontecido "em qualquer lugar, em qualquer circunstância", e devem ser averiguados pelas autoridades "até às últimas consequências".


parecer negativo da PSP