Contabilizaram-se, nas últimas 24 horas em Portugal, mais quatro mortes e 636 novos casos de infeção por covid-19, de acordo com o mais recente boletim da Direção-geral da Saúde. 

Desde o início da pandemia, o país já contabilizou 832.891 casos confirmados e 16.956 óbitos.

Relativamente aos internamentos, os números voltaram a descer: há menos dois doentes em enfermaria e menos seis em Unidade de Cuidados Intensivos. 

Nas últimas 24 horas, recuperaram da doença mais 521 pessoas. 

Boletim DGS - 22 de abril by TVI24 on Scribd

Há 24.764 casos ativos em Portugal, mais 111 em relação a quarta-feira e o número de contactos em vigilância pelas autoridades de saúde aumentou em 755 totalizando agora 22.436.

Das quatro mortes registadas uma ocorreu em Lisboa e Vale do Tejo, duas na região Norte e uma na região Centro.

Relativamente ao número de novos casos os valores de hoje são semelhantes aos registados nas últimas semanas, com oscilações diárias.

De acordo com os mais recentes dados da DGS, Portugal tem atualmente 2.711.174 pessoas vacinadas contra a covid-19, das quais 696.904 já estão imunizadas com as duas doses.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 203 novas infeções, contabilizando-se até agora 315.278 casos e 7.189 mortos.

A região Norte tem 269 novas infeções por SARS-CoV-2 e desde o início da pandemia já contabilizou 334.515 casos de infeção e 5.333 mortes.

Estas duas regiões têm hoje 74,2% do total de novas infeções.

Na região Centro registaram-se mais 58 casos, acumulando-se 118.294 infeções e 3.009 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 30 casos, totalizando 29.655 infeções e 970 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve o boletim de hoje revela que foram registados 37 novos casos, acumulando-se 21.475 infeções e 356 mortos.

Na região Autónoma da Madeira foram registados 17 novos casos, contabilizando 9.053 infeções e 68 mortes devido à covid-19 desde março de 2020.

Os Açores têm hoje 22 novos casos e contabilizam 4.621 casos e 31 mortos desde o início da pandemia, segundo a DGS.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

Cláudia Évora / com Lusa