Portugal registou mais nove mortos e 287 novos casos de infeção por Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país regista agora 1.629 (+0,5%) vítimas mortais e 44.416 infetados (+0,6%).

Do total de novos casos, 207 foram registados em Lisboa e Vale do Tejo. Há, ainda, 200 casos por incluir no total desta região, referentes a testes realizados por um laboratório privado que em três dias da semana passada não os registou no sistema para o efeito, estando a sua distribuição ainda a ser analisada pelas autoridades de saúde.

Quanto ao total de óbitos, seis foram registados na Grande Lisboa, dois no Alentejo e um no Norte. 

Boletim da DGS - 7 de julho by TVI24 on Scribd

Há no país 11 concelhos com mais de 1.000 casos de doentes infetados: Lisboa é o que regista o maior número de casos (3.645), seguido por Sintra (2.850), Loures (1.910), Amadora (1.780), Vila Nova de Gaia (1.678), Porto (1.414), Matosinhos (1.292), Braga (1.256), Odivelas (1.183), Gondomar (1.093) e Cascais (1.061).

Do total de pessoas infetadas em Portugal, 511 estão internadas, menos dois do que na segunda-feira. O número de doentes em Unidades de Cuidados Intensivos é de 76, mais dois.

Tosse (36%), febre (28%) e dores musculares (21%) foram os sintomas mais frequentes apresentados em 90% dos novos casos confirmados. 

Os Açores apresentam os mesmos 151 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-Cov-2 e 15 mortes. Já o arquipélago da Madeira regista 95 pessoas infetadas (+2) e nenhum óbito.

Segundo os dados, 816 vítimas mortais são mulheres e 813 são homens.

Também no boletim desta terça-feira não é apresentado o quadro das idades relativo aos infetados, uma situação que a DGS atribui a erro informático.

Por faixas etárias, o maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos (1.090), seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (314) e entre os 60 e 69 anos (148). Há 53 óbitos entre os 50 e 59 anos, 20 entre os 40 e 49, dois entre os 30 e os 39 e outros dois entre os 20 e os 29 anos.

Desde 1 de janeiro, registaram-se 348.410 casos suspeitos, dos quais 1.308 aguardam resultado dos testes.

A DGS regista também 30.134 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Cláudia Évora / Notícia atualizada às 15:05