Portugal contabiliza mais dois mortos e 145 novos casos de covid-19, na últimas 24 horas, informa o boletim da Direção-Geral da Saúde, divulgado este domingo.

No total, a pandemia já infetou 55.597 pessoas em Portugal, das quais morreram 1.796.

Boletim epidemilógico - 23 de agosto by TVI24 on Scribd

O Norte foi a região que registou mais novos casos nas últimas 24 horas, com 69 infeções confirmadas, contabilizando um total de 19.929 casos, tendo registado mais um óbito, de um total de 843.

A região Norte tinha registado no dia 17 de agosto mais novos casos do que Lisboa e Vale do Tejo, algo que não acontecia há mais de três meses.

Após 17 de agosto, Lisboa e Vale do Tejo voltou a liderar o número de novos casos, sendo que hoje voltou a ser suplantada pelo Norte.

Hoje, a região de Lisboa e Vale do Tejo registou mais um óbito (de um total de 646) e contabiliza 28.753 casos, dos quais 47 confirmados nas últimas 24 horas.

De acordo com o boletim, houve mais 122 doentes recuperados, totalizando 40.774 casos de recuperação.

O boletim da DGS de hoje revela que há mais um internamento e mais cinco doentes em cuidados intensivos em relação a sábado.

A região Centro contabiliza 4.661 casos confirmados (mais 13), o Algarve 1.028 (mais 14), e o Alentejo regista 887 (mais dois). Nenhuma destas regiões registou qualquer novo óbito por covid-19.

O Centro mantém 253 mortes, o Alentejo 22 e o Algarve 17.

Nos Açores e na Madeira não houve qualquer mudança face a sábado.

Os Açores totalizam 199 casos desde o início da pandemia e 15 mortes, e a Madeira 140 casos e nenhum óbito por covid-19.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, sendo entre os 40 e os 49 anos que se registam mais infeções, contabilizando-se um total de 9.178, seguida da faixa etária entre os 30 e os 39 anos, com 9.124 casos, e entre os 20 e os 29 anos, com 8.646.

Os dados indicam ainda que houve 25.007 homens e 30.590 mulheres infetados desde o início da pandemia.

Do total de vítimas mortais, 904 são homens e 892 são mulheres.

O maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos, com 1.201 mortes registadas desde o início da pandemia, seguindo-se as faixas entre os 70 e os 79 anos (350).

Os dois novos óbitos registados hoje foram de pessoas com mais de 80 anos.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 34.413 pessoas (mais 243 do que na véspera).

Rafaela Laja