Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais 78 mortes e 1.214 novos casos de infeção por covid-19, de acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS). 

O país soma agora um total de 392.996 casos confirmados e 6.556 óbitos desde o início da pandemia. 

Desta vez, a maioria dos óbitos ocorreu na região de Lisboa e Vale do Tejo, com 32, seguindo-se o Norte com 30, Centro com oito, sete no Alentejo e um no Algarve. Açores e Madeira não registaram qualquer vítima mortal.

Quanto aos internamentos, foram contabilizados mais 36 doentes em enfermaria e mais nove em Unidade de Cuidados Intensivos. 

Boletim DGS - 26 de dezembro by TVI24

Portugal tem agora 69.769 casos ativos, menos 409 do que na sexta-feira, e foram dados como recuperados, nas últimas 24 horas, mais 1.545, num total de 316.671 desde o início da pandemia.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 90.318 contactos, mais 225.

Ainda segundo o boletim, a região Norte foi a que registou o maior número de novas infeções por SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas (451).

Desde o início da pandemia, a região Norte registou 201.868 casos de infeção e 3.060 mortes.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 438 novas infeções, contabilizando-se até agora 126.713 casos e 2.275 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 148 casos, acumulando-se 44.040 infeções e 934 mortos.

Já no Alentejo foram assinalados mais 85 casos, totalizando 10.213 infeções e 190 mortos desde que começou a epidemia em Portugal.

A região do Algarve tem hoje notificados 43 novos casos, somando 7.074 infeções e 65 mortos.

A Madeira registou 28 novos casos. Esta região autónoma contabiliza 1.405 infeções e 11 mortes devido à covid-19.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 21 novos casos nas últimas 24 horas, somando 1.683 infeções e 21 mortos.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 176.606 homens e 216.252 mulheres, referem os dados da DGS, segundo os quais há 138 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 3.410 eram homens e 3.146 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguido das pessoas com idade entre os 70 e os 79 anos.

Cláudia Évora / com Lusa