Um bombeiro morreu, este sábado, no combate a um incêndio na Serra da Lousã, em Coimbra, apurou a TVI24. Há ainda três feridos, também bombeiros, sendo que um deles está em estado grave.

Em declarações à TVI24, Luís Antunes, presidente da Câmara Municipal da Lousã, revelou que o dia foi marcado por trovoadas secas e que o incêndio começou ao final da tarde na Cumeada do Trevim.

As chamas deflagraram numa zona muito acidentada de terreno, perto do baloiço de Trevim, um dos pontos turísticos do concelho.

"Não houve populações em risco", acrescentou.

Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros, lamentou a morte do bombeiro no combate ao incêndio, "um homem com 55 anos e 39 anos de experiência como bombeiro".

O fogo já está dominado.

Marcelo lamenta morte de bombeiro

O Presidente da República lamentou, este sábado, a morte do Bombeiro Voluntário de Miranda do Corvo durante combate a incêndio. Numa nota publicada no site da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa "lamenta, com profunda consternação, a morte de um Bombeiro da corporação de Miranda do Corvo, que combatia, com a sua equipa, um incêndio na serra da Lousã".

"Uma triste notícia e que representa uma perda profunda para quem tanto dá ao País. À família enlutada e ao Corpo de Bombeiros de Miranda do Corvo o Chefe de Estado envia as mais sentidas condolências".

Tendo havido ainda outros Bombeiros feridos, o Presidente da República contactou os presidentes das Câmaras Municipais da Lousã e de Miranda do Corvo, assim como o Comandante dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo, para conhecer o ponto de situação no terreno e se inteirar do estado de saúde dos Bombeiros em questão, a quem deseja rápidas melhoras.

Costa lamenta morte trágica de bombeiro na Lousã

O primeiro-ministro, António Costa, lamentou hoje o “trágico falecimento” de um bombeiro que combatia um incêndio na serra da Lousã, assim como daqueles que ficaram feridos.  

“Foi com profundo pesar e consternação que tomei conhecimento do trágico falecimento do bombeiro voluntário José Augusto Dias, que combatia um incêndio na serra da Lousã, assim como dos soldados da paz que ficaram feridos naquele combate e a quem desejo boa recuperação”, lê-se numa nota do gabinete do primeiro-ministro.

António Costa enviou também os pêsames, “em nome de todo o Governo” à “família e amigos do chefe José Augusto Dias e à corporação de bombeiros de Miranda do Corvo”.

Também o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, expressou pesar pela morte do bombeiro de Miranda de Corvo que comandava a equipa que combatia o incêndio.

"Vivemos hoje mais um momento trágico, com a morte do chefe José Augusto, do corpo de bombeiros de Miranda do Corvo", lamentou Eduardo Cabrita, que, em nome do Governo, endereçou "sentidos pêsames à família, amigos e à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo".

O ministro fez ainda votos de "plena recuperação" para os três bombeiros que ficaram feridos durante a operação na serra da Lousã, junto ao baloiço de Trevim numa zona de terreno acidentado.

"Importa, neste momento, realçar a forma empenhada, generosa e profissional com que todos os dias milhares de bombeiros integram este esforço nacional da defesa da floresta contra incêndios", reforçou o governante.

António Crespo / AM - Notícia atualizada às 23:33