A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar o incêndio que deflagrou no domingo à noite numa pensão da cidade de Coimbra, onde foi encontrada uma pessoa carbonizada, disse à agência Lusa fonte da Diretoria do Centro.

O caso está em investigação e a PJ está a efetuar diligências", disse a mesma fonte, que não adiantou mais informações sobre a situação.

O fogo deflagrou numa pensão situada na Rua da Sota, na Baixa da cidade, cerca das 20:45, em circunstâncias ainda por apurar, tendo sido extinto antes das 23:00, embora os bombeiros tivessem permanecido no local toda a noite em rescaldo e vigilância.

Além de um morto, que foi encontrado na busca secundária, e de dois feridos ligeiros, o incêndio provocou nove desalojados que foram realojados pelo município de Coimbra numa unidade hoteleira de Coimbra.

A existência de uma vítima, cuja identidade as autoridades no local não conseguiram identificar, levou a PJ ao local e a abrir uma investigação para esclarecer as causas do incêndio e da morte.

O comandante dos Sapadores Bombeiros de Coimbra, Paulo Palrilha, disse à agência Lusa que, apesar de o fogo ter eclodido num edifício antigo, não houve constrangimentos no local à operacionalidade dos meios de combate.

O local do fogo nem era uma zona má para a nossa atuação, possibilitando a utilização da autoescada", disse o responsável, adiantando que, no local, estiveram 57 operacionais das corporações dos Sapadores, Voluntários de Coimbra, Brasfemes e também de Condeixa-a-Nova, além de elementos da PSP, Cruz Vermelha e PJ.

Nos últimos anos, várias ruas e edifícios da Baixa da Cidade de Coimbra têm sido requalificadas pelo município de Coimbra, que, dessa forma, segundo o gabinete de comunicação, "pretende impulsionar também os privados a reabilitarem os seus imóveis".

A estratégia de requalificar o espaço público e as infraestruturas do subsolo, bem como os edifícios da Câmara, tem dado resultado com muitos prédios em reabilitação na Baixa de Coimbra", acrescentou.

Zonas emblemáticas na Baixa de Coimbra como as ruas Direita e da Nogueira estão em obra atualmente, mas espaços como a Praça do Comércio, a Via Larga, Terreiro da Erva já foram intervencionados, juntamente com vários edifícios propriedade do município.

/ MJC