Os caretos de Podence terminaram esta terça-feira a queima do Entrudo com a queima simbólica do novo coronavírus, num ano em que os festejos ficam marcados pela ausência dos milhares de visitantes do Carnaval da aldeia de Macedo de Cavaleiros.

É uma forma simbólica de assinalarmos o fecho do Entrudo Chocalheiro, num ano muito atípico. E queimar este mal que tem afetado toda a sociedade”, afirmou em declarações à TVI António Carneiro, presidente da Associação dos Caretos de Podence.

Por causa da pandemia, aquele que é considerado o Carnaval “mais genuíno” de Portugal está a ser celebrado de forma diferente. No dia 14, no “Domingo Gordo”, o Entrudo Chocalheiro foi celebrado.

Fico muito orgulhosa da minha aldeia de Podence e dos nossos caretos. Esperemos que esta queima tenha alguma influência para acabar com o vírus”, afirmou uma habitante que observava a “queima”.

A festa chegou a casa dos portugueses através dos órgãos de comunicação social, com transmissões em directo da “folia e alegria destas figuras enigmáticas de Trás-os-Montes”. Os festejos terminam esta terça-feira.

Redação / JGR