Quatro pessoas que se encontravam na mesma habitação foram hospitalizadas na madrugada desta quinta-feira, em Bragança, devido a intoxicação por monóxido de carbono libertado por uma braseira a carvão deixada acesa, segundo os bombeiros de Bragança.

O segundo comandante da corporação, Carlos Martins, disse à Lusa que as vítimas, duas mulheres e dois homens, foram transportados para o hospital de Bragança e acabaram por ser transferidos para o Hospital da Prelada, no Porto, devido à sua situação clínica.

De acordo com o segundo comandante, o alerta foi dado perto das 01:00 e as vítimas são uma mulher de 49 anos, outra de 19 anos, que são mãe e filha, e dois rapazes de 23 anos, irmãos gémeos. As vítimas encontravam-se na mesma casa, no Bairro dos Formarigos, na cidade de Bragança.

Carlos Martins explicou que quando os bombeiros chegaram à habitação encontraram as duas mulheres e um dos homens, sendo que a mulher mais velha “estava inconsciente” e os outros dois “conscientes, mas pouco colaborantes”.

A quarta vítima, outro dos homens, terá ido mais tarde ao hospital e, depois de observado, acabou por ficar internado com sinais de intoxicação e foi também transferido para a unidade de saúde do Porto.

A vítima mais grave, a mulher de 49 anos, foi transferida no helicóptero do INEM e as restantes três de ambulância.

Os bombeiros que acorreram à habitação suspeitaram de intoxicação por monóxido de carbono e, depois de uma vistoria ao local, encontraram uma braseira a carvão que estaria a ser usada para aquecimento e que será o foco da intoxicação.

O segundo comandante dos bombeiros alertou que nesta altura do ano acontecem sempre alguns acidentes deste género por as pessoas usarem equipamentos de queima para aquecimento e não fazerem a necessária ventilação das casas.

As autoridades apelam a que não sejam deixados equipamentos incandescentes ou lareiras acesas durante a noite pelo perigo de a combustão queimar o oxigénio e provocar intoxicações por monóxido de carbono, um gás que vai sendo libertado e que atua sem que as vítimas se apercebam, podendo ser fatal.

Mesmo em relação aos restantes equipamentos usados para aquecimento, nomeadamente elétricos ou a gás, o conselho das autoridades é de que as pessoas estejam atentas à manutenção e funcionamento e que façam uma boa ventilação das habitações ou locais onde se encontram.