Os jovens feridos numa explosão no parque de ‘bungalows’ em Alcobaça, na sexta-feira, pertenciam a equipas espanholas a disputar um torneio ibérico de andebol na Nazaré e não terão tido culpa no que aconteceu, defendeu hoje a respetiva federação.

O presidente da Federação Espanhola de Andebol, Francisco Blasquez Garcia, em declarações à agência Lusa, lamentou a posição do proprietário do parque, ao ter culpado os jovens, “num momento em que estão a viver uma situação complicada no hospital fora do seu país”.

Segundo o responsável, “é a primeira vez que ocorre” um acontecimento do género, por isso, acredita que não terão qualquer culpa e vai aguardar pelas conclusões da Polícia Judiciária (PJ) na investigação às causas do incêndio.

Houve uma explosão de gás num ‘bungalow’ quando acenderam a luz, porque havia um ruído estranho”, apontou.

No parque de ‘bungalows’ da Burinhosa estavam 58 pessoas da equipa, das quais 45 eram jovens e 13 adultos.

Fonte da PJ disse que o caso está a ser investigado e não há conclusões por enquanto.

Quatro jovens espanhóis, de 14 anos, sofreram ferimentos, dois dos quais com queimaduras de segundo grau na face e membros superiores, na sequência de uma explosão num ‘bungalow’, em Alcobaça, tendo sido transportados para o Hospital Pediátrico do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, e outros dois ferimentos ligeiros.

Dos quatro jovens feridos, todos de 14 anos, dois continuam internados no Hospital Pediátrico do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, disse, acrescentando que um deles apresenta queimaduras de segundo e terceiro graus em 40% do corpo.

Fonte hospitalar disse à Lusa que os dois se “encontram clinicamente estáveis”.

No domingo, o proprietário do parque de ‘bungalows’, Manuel Brites, afirmou à Lusa que há “fortes indícios” que os responsáveis pelo incidente sejam os jovens, ao terem provocado o incêndio através de “bombinhas de Carnaval, no interior do ‘bungalow’”.

As condições de segurança foram vistoriadas, garantiu Manuel Brites, ao referir que o parque vai manter-se aberto.

O proprietário referiu que os jovens não estavam acompanhados por adultos.

Quatro jovens espanhóis, de 14 anos, sofreram ferimentos, dois dos quais com queimaduras de segundo grau na face e membros superiores, tendo sido transportados para o Hospital Pediátrico do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, e outros dois ferimentos ligeiros.

O comandante dos bombeiros de Pataias, Leandro Bernardino, afirmou à Lusa que a explosão aconteceu quando "acenderam a luz" no 'bungalow', onde existiria uma fuga de gás.

/ RL