A Polícia Judiciária anunciou esta sexta-feira que deteve cinco homens suspeitos do homicídio do cidadão cabo-verdiano Luís Giovani Rodrigues. O pai da vítima esteve ao telefone na TVI24, onde pediu que "seja feita justiça".

Joaquim Rodrigues está em Cabo Verde e soube da detenção pelas autoridades, que lhe ligaram esta sexta-feira.

Senti um pouco de conforto, [mas] não há nada que a Polícia Judiciária possa fazer para trazer o meu filho de volta", afirmou.

O pai de Giovani agradeceu ainda às autoridades, sobretudo à Polícia Judiciária, antes de pedir que seja feita justiça.

Ao que a TVI apurou, os detidos não têm cadastro, são todos naturais de Bragança e a investigação descartou que as agressões que resultaram na morte do estudante tenham tido por base discriminação racial, devendo-se a motivo fútil.

Luís Giovani dos Santos Rodrigues, que estudava no Instituto Politécnico de Bragança, morreu a 31 de dezembro do ano passado no hospital, após ter sofrido uma agressão perto de uma discoteca em Bragança onde estivera com amigos.

A autópsia do jovem foi inconclusiva, não esclarecendo se a morte foi provocada pelas agressões ou pela queda que sofreu depois quando caminhava no centro da cidade.

Luís Giovani era natural da ilha cabo-verdiana do Fogo, tendo o município de Mosteiros publicado uma nota sobre a sua morte, recordando que tinha viajado em outubro para Bragança, “para seguir o curso de Design de Jogos Digitais”.