O presidente da Associação Académica da Universidade do Algarve convocou, esta quarta-feira, uma Assembleia Magna para votar dois dias de luto académico contra a decisão da Câmara de Faro de reduzir os horários da Festa do Caloiro. Cerca de dois mil estudantes da Universidade do Algarve concentraram-se à frente da Câmara de Faro para pedir ao presidente autarquia, Macário Correia, que reavaliasse a decisão de reduzir os horários de abertura do recinto em que decorrerá a festa de recepção aos novos alunos.

De acordo com a Lusa, o presidente da Associação Académica, Guilherme Portada, pediu a Macário Correia, durante a sessão pública desta quarta-feira da reunião do executivo camarário, que reconsiderasse a decisão de obrigar que o recinto feche até às 02:00 (de domingo a segunda) e até às 03:00 (na sexta e no sábado).

Macário Correia recusou reconsiderar, invocando a lei do ruído. O autarca comunicou que apenas autorizaria outros horários se os estudantes entregassem assinaturas dos moradores próximos do recinto.

«Se me trouxerem assinaturas dos moradores próximos do Largo de S. Francisco, a subscrever os horários que propõem, ficam livres e eu dou autorização. Mas têm de compreender que a população não pode ficar sem dormir durante 10 dias úteis», declarou Macário Correia.

À saída da reunião do executivo camarário, Guilherme Portada disse aos jornalistas que a proposta de Macário Correia era «inaceitável», «fundamentalista» e «vergonhosa» e que ia convocar uma Assembleia Magna para decidir dois dias de luto académico.

Ainda assim, Guilherme Portada garantiu que a Associação Académica vai «cumprir os horários» determinados pela Câmara, porque os estudantes são «civilizados».
Redação / AR