Vinte e um concelhos dos distritos de Faro, Portalegre, Santarém e Castelo Branco apresentam hoje um risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco máximo estão os concelhos de Lagos, Portimão, Monchique, Silves, Loulé, São Brás de Alportel e Tavira (Faro), Portalegre, Marvão, Gavião, Castelo de Vide e Nisa (Portalegre), Mação, Abrantes, Sardoal, Chamusca, Constância, Vila Nova da Barquinha, Tomar, Ferreira do Zêzere (Santarém) e Vila de Rei (Castelo Branco).

O IPMA colocou também vários concelhos de todos os distritos, exceto de Viana do Castelo e Braga, em risco muito elevado e elevado.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O risco de incêndio vai manter-se elevado em algumas regiões do continente pelo menos até sábado.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo e vento por vezes forte no litoral oeste e nas terras altas, por vezes com rajadas até 75 km/h no Centro e Sul.

Está ainda prevista uma pequena descida da temperatura mínima e pequena subida da máxima, em especial no interior.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 8 graus (em Bragança) e os 16 (em Faro) e as máximas entre os 20 (no Porto, Viana do Castelo e Aveiro) e os 32 (em Faro).

Todo o país em risco muito elevado de exposição aos UV

Todos os distritos de Portugal continental, o arquipélago da Madeira e as ilhas Terceira e São Miguel, nos Açores, apresentam hoje um risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV), segundo o IPMA.

A ilha do Faial (grupo central dos Açores) apresenta níveis elevados e a ilha das Flores (grupo ocidental dos Açores) está hoje com risco moderado de exposição à radiação UV.

Para as regiões com risco muito elevado, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera aconselha a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, 't-shirt', guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao sol.

Agência Lusa / CM