A Câmara de Lisboa vendeu hoje em hasta pública, a uma sociedade comercial portuguesa, uma parcela de terreno na Praça de Espanha por 17 milhões de euros, destinada a construções novas do setor terciário, anunciou o município.

Em declarações à agência Lusa, o diretor municipal de Gestão Patrimonial, António Furtado, indicou que a hasta, realizada no edifício da autarquia no Campo Grande, contou apenas com uma proposta, superior em cerca de 500 mil euros ao preço base de licitação (16,45 milhões de euros).

Nós queremos sempre ter a maior procura possível, mas sabemos que quando estamos a falar de vendas em que o valor é particularmente elevado e envolvem projetos de significativa dimensão, obviamente que a procura é sempre muito mais reduzida do que quando estamos a falar de ativos com um valor muito mais baixo”, admitiu o responsável.

A parcela de terreno, cuja alienação foi aprovada em dezembro passado pelo executivo camarário (de maioria PS), localiza-se na Avenida Columbano Bordalo Pinheiro e possui 3.785 metros quadrados e uma superfície de pavimento de 22.022 metros quadrados.

Não é um pequeno lote para construir uma moradia”, notou António Furtado.

No que toca ao comprador, é uma “sociedade comercial cujo objeto social abrange, entre outras questões, o imobiliário”, precisou o diretor municipal.

Além desta parcela de terreno destinada ao setor terciário, a Praça de Espanha vai também acolher o edifício sede do Montepio Geral e da Lusitânia Seguros.

Prevê-se, ainda, o alargamento das instalações do Instituto Português de Oncologia de Lisboa.

Neste local funcionou durante décadas o chamado “mercado azul” da Praça de Espanha.

Esta foi a segunda hasta pública realizada esta semana, já que na passada terça-feira a Câmara de Lisboa arrecadou 3.490.000 euros com a venda em hasta pública, a sociedades comerciais, de dois lotes de terreno e um prédio nas freguesias de Campolide e de Arroios.

As alienações continuam na próxima semana, com uma outra hasta pública marcada para terça-feira para a venda de 10 frações autónomas habitacionais nas freguesias de Arroios, São Vicente, Misericórdia, Campo de Ourique, Estrela, Santa Maria Maior e Penha de França.

Os valores base para estes imóveis situam-se entre os 41 mil euros e os 99 mil euros.

Segue-se uma outra sessão, na quinta-feira da próxima semana, no âmbito do programa de valorização dos ativos imobiliários disponíveis, com a qual se pretende alienar seis imóveis na Ajuda, Avenidas Novas e Olivais e Belém.

Os valores oscilam entre os 660 mil euros e os 6,1 milhões de euros.

As propostas podem ser apresentadas até às 15:00 do dia anterior à venda.