Uma professora foi, na quarta-feira, “barbaramente agredida” pela mãe e a avó de uma aluna, na Escola Básica de Campolinho, em Gaia, tendo a docente necessitado de tratamento hospitalar.

Num comunicado enviado à comunicação social, a Direção do Sindicato dos Professores do Norte (SPN) afirma que “não pode deixar de expressar profunda solidariedade à professora vítima da agressão, bem como a todos os docentes do Agrupamento”.

O SPN “repudia” este ato de violência e exige que as responsáveis sejam punidas. Lamentam a “inação” e o “silêncio” das entidades oficiais, em especial o Ministério da Educação.

É de lamentar a inação das entidades oficiais, em especial do Ministério da Educação, perante situações a todos os títulos inaceitáveis. O silêncio do Ministro da Educação e da sua equipa perante este tipo de acontecimentos é indigno”.

Mas o sindicato vai mais longe, “igualmente intolerável é a atitude de todos aqueles (responsáveis políticos, comentadores e outros) que, de forma injusta e irresponsável, se ocupam em denegrir a imagem social dos professores, contribuindo para debilitar a autoridade profissional docente perante os alunos e as famílias”.

Como forma de protesto, a Direção do SPN vai associar-se à iniciativa da comunidade escolar do Agrupamento de Escolas de Valadares para um cordão humano, esta sexta-feira, a partir das 15h30m, junto à escola. Iniciativa vai contar ainda com a presença de professores, assistentes operacionais, pais e encarregados de educação.

O caso já foi entregue às mãos da justiça.